Como evitar cobrança de fornecedores

0
462

cobrança

Cobrança de fornecedores no meio do expediente é, no mínimo, um grande desgaste, afinal a empresa já está fazendo o que pode e o que não pode para acertar os compromissos com seus fornecedores. Por outro lado, o que parece ruim, pode ser um sinal, um alerta que o negócio não vai bem e que precisa de mudanças. Chegou o momento de entender porque chegou nessa situação, aceitar que a empresa cometeu erros e buscar a origem das falhas para tomar as providências.

Tudo começa antes de abastecer a empresa de mercadorias tanto para o varejo quanto prestar serviços, são as conhecidas despesas fixas que muitos esquecem que ocorre independente da empresa fechada fora do expediente, nos finais de semanas, feriados, se deu lucro ou não, enfim, são compromissos obrigatórios e são considerados fixos mesmo aqueles que só ocorrem uma vez ao ano. Portanto, se a empresa precisa de um motivo para começar bem o dia, basta lembrar que o dia já começou devendo e que precisa correr atrás de bons resultados para cobrir no mínimo o fixo.

Dessa forma, quando a empresa conhece com precisão o valor médio que ela precisa levantar por dia para cobrir as despesas fixas sem mexer no capital de giro e, se não tem capital de giro é tema de um próximo assunto, então se entende que a empresa tem uma meta e, essa palavra “meta” por si só tem uma força muito grande de alcançar resultados satisfatórios, onde na reunião diária e, se não faz reunião diária é tema de outro assunto, deve deixar claro á toda equipe que o compromisso de todos com a empresa é de grande importância.

Voltando na questão de abastecer a empresa de mercadorias, afinal sem mercadorias de venda no varejo ou produtos e equipamentos para prestar serviços o negócio não movimenta, com isso, além de fazer boas escolhas na hora da compra exige uma boa negociação. E, aqui, é o ponto crucial de toda transação financeira no dia-a-dia da empresa. Toda entrada de ativo circulante merece uma atenção particular para que a receita de cada item vendido de forma direta ou através de serviço deve levar em conta se pode vender só à vista ou também a prazo, o desconto máximo permitido, o tempo máximo na prateleira, se pode fazer entrega sem custo, enfim, negócio é negócio mesmo se o cliente é VIP ou se é parente.

A boa notícia é que se pode agregar no preço de venda, todos os custos além do valor de compra. Inclusive os custos da mercadoria vendida. Mas, lembre-se que a cada custo acrescido diferencia a classe de cliente e, pode correr o risco de afastar a classe que mais paga à vista ou que mais paga em dias. Com essa perspectiva é possível observar que o sucesso do negócio depende de cada decisão em curto, médio e longo prazo.

O mais importante é ter uma informação consistente, ou seja, um banco de dados de tudo que entra e tudo que sai da empresa. Com essa informação é possível decidir com segurança cada passo do sucesso que se espera da empresa. A informação é uma bússola que permite direcionar a empresa para o melhor caminho a percorrer rumo à meta do dia, do mês, do ano e de toda jornada do negócio no mercado.

Fale com o autor: adm.lucianomarmo@gmail.com

Luciano Marmo
Empresário, empreendedor, analista de sistemas e formado em Gestão da Produção Industrial e Administração de Empresas.

Sem Comentários

Deixe um comentário

*